Estamos em um novo tempo.

Um tempo dito moderno, avante, mas que traz a todos nós, homens, um grande desafio: o de não só parecer, mas o de realmente ser.

Nesse novo tempo, homens se vestem bem, sabem as tendências de moda (não é à toa que você esta lendo esse artigo), cuidam da pele, escolhem o perfume certo para usar em cada ocasião, malham e alguns até são adeptos da depilação. Enfim, temos uma evolução daquele homem acanhado (em relação a cuidados pessoais) de 30 anos atrás que apenas ia ao barbeiro,  passava brilhantina nos cabelos e se dava por satisfeito.

homem-moderno

Em resumo, a questão fundamental que se avizinha a todos nós homens é a seguinte: o que é ser um homem moderno afinal de contas? Como se porta esse novo homem? Posso ser considerado “moderno” só porque uso um celular de última geração? Sou moderno porque leio a Vogue? A resposta é: não exatamente. Explico.

A meu ver, não dá pra imaginar um homem legitimamente moderno jogando papel na rua, ouvindo som alto, fechando outros carros, não reciclando o lixo etc. São questões de comportamento que nem um belo ( e bem cortado) terno Armani ou um perfume Prada resolve. Homem moderno de verdade é educado no trânsito, abre a porta do elevador para os idosos, ajuda a vizinha a carregar compras, dá a vez no caixa do supermercado para quem tem apenas um volume  e por aí vai. Pensa, age de forma civilizada, independente de sua roupa ou da moda. Ele é, não só parece.

A verdade é que “homem moderno” não pode ser só um termo no seu vocabulário, é preciso que a sua elegância e conhecimento se transformem em atitudes reais e palpáveis com você mesmo, com o seu meio social, enfim, com o mundo. Se estou dizendo uma fantasia, me perdoem, mas essa é minha sensação do que vem por aí e do que quero, almejo para mim.

Espero que suas atitudes e escolhas ultrapassem os editoriais de moda e que cada vez mais sejam verdadeiramente modernas e inteligentes.