Infelizmente ninguém tem a vida perfeita, ou seria FELIZMENTE?

Eu acredito mesmo, que a adversidade nos faz crescer como seres humanos – são os nossos desafios que nos permitem refletir, analisar, ressignificar, mudar o rumo, sair da zona de segurança, acordar, arriscar. Quando permitimos, a adversidade pode ser a mola propulsora para uma grande transformação interna e externa nas nossas vidas.

Certos problemas são inevitáveis, é fato. O que quer dizer que você acabará, mais cedo ou mais tarde, tendo que encará-los.

Por isso, estou lhe apresentando agora mesmo 5 dicas para driblar esse sentimento.

1. Reconheça o que você está sentindo.

Este é o passo mais importante deste processo – reconhecer seus sentimentos. O reconhecimento acontece quando nos permitimos entrar em contato com a emoção. Algumas pessoas, infelizmente, foram criadas em ambientes aonde as emoções eram minimizadas ou simplesmente ignoradas. No caso dos homens, frases ouvidas recorrentemente na infância como:

Homens não choram!

Isso não é coisa de homem!

Pare de frescura!

Tais frases recebidas na sua infância e adolescência podem fazer com que você hoje não permita vivenciar seus sentimentos, por medo de demostrar fraqueza, insegurança ou medo. Ignorá-los ou abafá-los só trará mais prejuízos, pode acreditar!

Se nos recusarmos a aceitar a dor, se não aceitarmos que estamos sofrendo, não iremos compreender a demanda para buscar por soluções.

Ser honesto conosco, nos permitirá sermos honestos com os outros também. E serão as pessoas que amamos e que nos amam que poderão nos apoiar e nos darão a força que acreditamos ter perdido para voltar à superfície.

2. Para lidar com o sofrimento, dê a si mesmo o carinho que você merece

Nem sempre nos ensinaram que devemos nos amar e nos proteger. O que eles nos ensinaram muitas vezes, foi ajudar os outros quando eles precisam. Essa falta de prioridade significa que quando enfrentamos alguns desafios, não podemos levar em consideração o que estamos sentindo e nos oferecer carinho.

Não é hora de se culpar ou de atuar como vítima. Isso só aumentará o grau de dor experimentada.

Não é hora de se culpar ou de atuar como vítima. Isso só aumentará o grau de dor experimentada.

Para lidar com o sofrimento emocional, é importante ser generoso, paciente e flexível consigo mesmo. Só assim você poderá sair da situação desagradável que está vivenciando.

“Nem sempre nos ensinaram que devemos nos amar e nos proteger.”

3. De onde vem a dor?

Um dos exercícios mais difíceis é voltar à fonte de dor emocional e ser capaz de olhá-la nos olhos. Isso aumenta nosso sofrimento, mas é necessário para seguir em frente e conseguir assim, abandoná-lo.

Lidar com sofrimento emocional significa não fugir do que nos fere. E nem dê as costas nem tente aplacar com um sentimento placebo de que podemos evitar o prolongamento ao longo do tempo.

É necessário analisar sua origem, perguntar-se: quando nasceu esta dor emocional? 

Descobrir as situações e os acontecimentos que causam isso oferecerá muitas vantagens.

Se estamos cientes do que causou esse sofrimento, podemos ter uma ideia de como resolver o problema e agir, agora consciente, em busca de ajuda. Mas e se ele não puder ser resolvido? Essa é a próxima dica.

4. Aceite aquilo que você não pode mudar

Para lidar com o sofrimento emocional com sucesso, é essencial analisar a situação que tanto nos magoa e nos perguntar: será que eu realmente posso mudar isso neste momento?

Há situações em que podemos mudar de residência, afastar-se daqueles que nos fazem sofrer ou, simplesmente, tomar uma decisão que ponha um fim ao que, até aquele momento, nos fez sofrer.

No entanto, em outras circunstâncias, não podemos intervir, como uma doença grave ou a perda de um ente querido. Porém, nós temos um poder extraordinário ao nosso alcance: O PODER DA DECISÃO!

Como lidarei e enfrentarei esses desafios daqui para frente?

O que posso fazer para minimizar a dor que estou sentindo?

Como desejo estar (emocionalmente) quando este período passar?

Quem sentirá orgulho de mim por ter vencido este desafio?

5. Assuma o controle de si mesmo.

É fácil perder o controle quando somos vítimas da tristeza. No entanto, isso nos faz flutuar, nos impede de seguir o ritmo e nos faz sentir completamente perdidos. Use o conceito da autorresponsabilidade de que você é o único responsável pelos resultados que vem obtendo na sua vida e somente você poderá sair deste ciclo.

Em primeiro lugar, é importante fazer um esforço para ver o que nos acontece de outra perspectiva.

Em momentos sombrios, acreditamos que as piores coisas acontecem apenas para nós, uma crença que piora ainda mais a situação.

O importante é assumir o controle, não se deixar levar pela corrente e forçar a nós mesmos a buscar por uma alternativa. Problemas e adversidades podem nos ajudar a crescer enquanto permitimos isso.

/ EXTRA /

E por fim, quero deixar um bônus para você, a indicação de dois livros que tiveram grande impacto na minha vida e que com certeza irá contribuir muito com a sua. Os livros certos, tem o poder de mudar à nossa maneira de enxergar as coisas, mudar nossos sentimentos.

– O Poder do Agora (Eckhart Tolle)


– O Cavaleiro Preso na Armadura (Robert Fisher)

Não tenha medo ou preconceito de procurar por um profissional, caso sinta necessidade. Seja um psiquiatra, um coach, um psicanalista ou psicólogo. Estes irão oferecer-lhe as ferramentas necessárias para lidar com a dor emocional de forma efetiva.

Acima, de tudo, aprenda que lidar com o sofrimento não se resume em acabar com o seu causador. O necessário é apenas que você se concentre e consiga alcançar seu potencial de ser feliz, mesmo quando os problemas são inevitáveis.

Finalizo com uma frase que ouvi em um seriado e que fez muito sentido para mim – “ Levante a cabeça e entre na arena, encare seu inimigo. Lute até não poder mais. Nunca abra mão, NUNCA DESISTA!

Coragem, meu amigo.

Um super beijo!

/Eliane Dametto
/Treinadora Comportamental