Por que os homens gostam de transar com garotas de programa? Se você abrir as páginas de classificados de um jornal, vai se surpreender com a quantidade de anúncios de sexo pago. Se existe tanta oferta é porque não faltam clientes. É curioso, mas até algumas décadas atrás, quando já se previa maior liberação no comportamento sexual do jovens, acreditou-se que a prostituição tinha os dias contados e tendia a desaparecer completamente.

Quem ia se dispor a pagar para fazer sexo com qualquer uma, quando cada vez se tornava mais fácil para o homem transar com a namorada, amigas ou colegas de trabalho? E no casamento também se notavam mudanças: as esposas davam sinais de começar a admitir práticas sexuais até então proibidas para mulheres “respeitáveis”. Mas acontece que a prostituição não acabou — agora são meninas de classe média, universitárias, ninfetas, etc. Pelo contrário, proliferou e se sofisticou. Por quê?

Os homens que procuram garota de programa pagam em dinheiro o que for cobrado e não lhes devem mais nada. Se sentem, assim, livres da angústia de tentar corresponder à expectativa de outro tipo de mulher, aquela que busca prazer no sexo. Quando o homem está com a garota de programa, não precisa se preocupar com o desempenho e em ser avaliado. Não interessa se é ou não bom de cama; se seu pênis é pequeno ou fino; se a ejaculação foi precoce ou se a parceira teve ou não orgasmo. Somente seu prazer individual é buscado. Ele não deve à profissional uma declaração de amor, nem mesmo um telefonema depois. Já está tudo pago.

Regina Navarro Lins