No último post, falei a respeito do dress code em festas e eventos. Porém, dress code vai além. Adequação talvez seja a melhor palavra para descrevê-lo. No ambiente de trabalho não é diferente. É preciso se adequar à cultura da empresa. Aqui, o estilo pessoal, apesar de ser importante, conta menos. Se você simplesmente não gosta do tipo de roupa que é exigido na empresa, talvez você não está no lugar certo – até mesmo na profissão certa! Pode parecer exagero, mas é extramemente desconfortável vestir uma roupa que você não gosta.

A escolha da roupa para o trabalho começa pelo ambiente da empresa. Ambientes mais formais, como bancos e escritório de advocacia, pedem costume (camisa, calça e paletó) ou terno (camisa, calça, colete e paletó) . Aqui, não dá pra inventar muito. Se o dia estiver muito frio, você pode usar um tricot no lugar do colete ou então um sobretudo por cima do terno.

Para quem trabalha em ambientes menos formais, como RH ou áreas da empresa que não tem contato com o cliente, camisa e calça social é suficiente. Até pode usar o jeans, desde que seja de tonalidade escura e acompanhado de blazer.

Por fim, você que trabalha em ambientes informais, como agências de publicidade, escritórios de arquitetura, pode usar camiseta ou pólo com jeans e tênis. Bermuda deve-se tomar cuidado. Algumas empresas até aceitam (como agências de publicidade), mas é raro. Portanto, é preciso saber se a empresa vê isso com bons olhos.

Em algumas empresas há a casual friday. Nesse dia, os funcionários podem vestir uma roupa menos formal. O pessoal que trabalha de terno, por exemplo, pode tirar a gravata e usar camisa com calça e paletó. Quem trabalha assim, por sua vez, pode usar um jeans com camisa. O ideal nesses casos é sempre usar o bom senso. A roupa que você veste diz muito sobre você!